Por: Vinícius Mariano
O presidente da Assembleia Legislativa, Moacir Sopelsa (MDB), comunicou aos deputados nesta terça-feira (19) que a Procuradoria Jurídica da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (ALESC) deu parecer favorável para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o aborto feito em uma menina de 11 anos no estado. O requerimento para a CPI do Aborto é assinado pela deputada Ana Campagnolo (PL) e conta com a assinatura de outros 21 deputados.

Relembre o caso

No mês de junho, uma reportagem veiculada pelos portais de extrema esquerda The Intercept Brasil e Portal Catarinas afirmou que menina de 11 anos, moradora de Tijucas, teria sido vítima de estupro e engravidado. O Hospital Universitário de Florianópolis se recusou a realizar o aborto.

No entanto, a reportagem omitiu que a gravidez teria sido por causa de uma relação sexual da garota com outro menor de idade, de apenas 13 anos. Conteúdo, mesmo assim o Ministério Público Federal (MPF) recomendou a realização do aborto, que ocorreu no fim do mês de junho.