Por: Vinícius Mariano

O dólar caiu, nesta quinta-feira (24), pela sétima vez seguida e fechou em R$ 4,83, menor valor desde março de 2020, poucos dias antes de começar as quarentenas por causa da pandemia. A queda da moeda norte-americana fez a Bolsa brasileira fechar em 119 mil pontos, o maior nível desde agosto de 2021, quando atingiu 120 mil. Segundo economistas, a forte queda do dólar nos últimos dias é reflexo da política do Banco Central, de aumentar a taxa básica da economia, a Selic, que está em 11,75% e tende a subir para 12,75% em maio, segundo informações do próprio BC.

A inflação, no entanto, ainda preocupa: o Banco Central aumentou de 4,7 para 7,1% a expectativa de inflação oficial de 2022, fazendo com que a meta seja superada pelo segundo ano seguido. Ao comentar o Relatório de Inflação de março, o presidente da instituição, Roberto Campos Neto, disse que o BC pretende concluir em maio o ciclo de alta da taxa Selic, o que explica as altas da bolsa de valores, apesar das altas taxas de juros.