Ministro do STF disse, durante debate na Câmara dos Deputados sobre fake news, reforma eleitoral e voto impresso, que existe “uma espécie de cristianismo do mal” no Brasil. Para Barroso, ataques às instituições são “um problema” que devem ser resolvidos “da maneira possível“.

Ao participar de um debate na Câmara dos Deputados sobre voto impresso, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, disse que existe “uma espécie de cristianismo do mal” no Brasil. Sessão debatia temas de fake news, reforma eleitoral e voto impresso. Ele foi convidado por ser o atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com Conexão Política, Luís Barroso defendeu que ataques pessoais não abalam as instituições. Contudo, disse que esses ataques às instituições são “um problema” que deve ser resolvido “da maneira possível“. Ademais, o ministro disse que sua fala não fazia referências à coisas como críticas ou mensagens de humor.

Toda semana, às sextas-feiras eu sempre posto uma sugestão de livro, música e poesia. E todas as semanas, e essa é a parte divertida, me mandam ler a Constituição e a Bíblia. Justo eu que passei a minha vida lendo a Constituição e ainda sou filho de mãe judia e pai católico, de modo que eu li o Velho Testamento e o Novo Testamento.[…] Escrevem coisas horríveis. Tem uma espécie de cristianismo do mal no Brasil, uma inovação horrorosa, em que o sujeito fala: ‘Em nome de Deus, eu quero que você morra, em nome de Jesus, eu quero que sua família seja destruída’. Quer dizer, é tão absurdo isso, pessoas totalmente do mal que invocam a religiosidade das pessoas.”

Filie-se agora ao Movimento Conservador! Acesse: