Por: Vinícius Mariano.

Após a alta de casos de coronavírus no Brasil e no mundo, diversas instituições do estado de São Paulo voltaram a exigir uso obrigatório de máscaras, para supostamente proteger contra a infecção, mesmo a maioria da população do estado estando vacinada com duas doses de alguma das vacinas contra o vírus. Dentre os órgãos que voltaram a obrigar o uso do objeto estão o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), o Tribunal Regional Federal (TRF) da 3º Região, o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) e a Câmara dos Vereadores de São Paulo.

Por outro lado, houve instituições que sequer permitiram a circulação por suas dependências sem a máscara, mesmo após o decreto do ex-governador João Doria (PSDB), que liberou o uso do apetrecho. É o caso das três grandes universidades estaduais – A USP, a UNESP e a UNICAMP, que foram alvos de questionamento do deputado Douglas Garcia (Republicanos-SP) por tal exigência.

Já na Câmara dos Vereadores de São Paulo, o uso é obrigatório para servidores e parlamentares. Para os visitantes, o apetrecho só é exigido quando as galerias ou auditórios estiverem com lotação superior a 50%.