Fazendo referência à China, senadora esquerdista chegou a mencionar que bajularia qualquer país que tiver vacina para o povo brasileiro. Ademais, Kátia Abreu também acusou Ernesto Araújo de ter praticado uma “diplomacia preconceituosa” contra o país, que é uma ditadura comunista.

Em sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19 ontem (18), a senadora Kátia Abreu (PP-TO), dentre outras coisas, acusou Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores, de realizar uma diplomacia preconceituosa para com a China durante seu período no governo. Ademais, também chegou a dizer que deitaria chão para que países que tenham vacina pisassem sobre ela.

De acordo com Estudos Nacionais, a senadora passou a sessão claramente insatisfeita, exaltada e incomodada pela forma com a qual o ex-ministro se comportou perante a China. No entanto, o atrito entre ambos não é novo. Ao sair do Ministério das Relações Exteriores, citando o 5G, Ernesto Araújo acusou a socialista de fazer lobby para o país asiático.

Muitas pessoas dizem: que bajulação com a China. Eu quero bajular qualquer país que tiver vacina para o meu povo brasileiro, para o meu povo do Tocantins que me elegeu. Qualquer um que tiver vacina, eu sou capaz de deitar no chão e deixar que pise em cima de mim. […] Nós estamos vivendo preconceito? Nós estamos vivendo ideologia? Ou nós estamos vivendo o livre mercado, a livre iniciativa sem preconceitos? Sem reparar no sistema de governo dos países que não nos diz respeito“, falou a senadora durante a sessão.

Kátia Abreu e o Lobby chinês

No dia 04 de março deste ano, o ex-chanceler divulgou nas redes sociais uma conversa com a senadora Katia Abreu e a acusou de fazer lobby em favor do 5G da China. 

Ministro, se o senhor fizer um gesto em relação ao 5G, será o rei do Senado”, teria dito a senadora.

Araújo afirma ter desconsiderado a oferta e no dia 29 de março foi destituído do cargo após pressão do Senado e de parlamentares do centrão.

Filie-se agora ao Movimento Conservador! Acesse: