Por: Vinícius Mariano

O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, entregou, nesta quinta-feira (12), em reunião com o ministro Paulo Guedes, um pedido ao chefe da Economia para iniciar estudos sobre a privatização da Petrobras e da PPSA – a Pré-Sal Petróleo S.A., estatal responsável pelo pré-sal. A privatização da Petrobrás é uma das medidas que podem reduzir o preço dos combustíveis, que devido à pandemia e ao conflito da Rússia com a Ucrânia tem batido recordes. Segundo Sachsida, a medida tem o apoio do presidente da República.

O anúncio do estudo, no entanto, causou polêmica quando foi feito, e não foi bem recebido por sindicalistas ligados à Petrobras, que o chamaram de “golpe” durante uma coletiva do ministro Paulo Guedes, que se irritou com os manifestantes que protestavam. Em resposta, o ministro disse: “Eu queria que todos soubessem que sempre respeitamos, estamos numa democracia, respeitamos os vencedores de eleições. Não quero falar de quem roubou a Petrobras, assaltou a Petrobras durante anos, roubaram, foram condenados, não quero falar isso”.

Adolfo Sachsida é economista e é o segundo nome a comandar o ministério de Minas e Energia durante o governo do presidente Jair Bolsonaro. O ministro antigo, o Almirante Bento Albuquerque, foi exonerado na quinta-feira (5), após a Petrobrás           anunciar outro reajuste – de 8,8% – no preço do diesel, mesmo após o presidente Bolsonaro tendo pedido à companhia para que mantivesse o preço congelado devido às dificuldades em que o país se encontra.