Por: Vinícius Mariano.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse, nesta segunda-feira (20), que não vê suspeita de crime para instaurar se uma CPI da Petrobras, como quer o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Segundo Pacheco, é necessário, antes de CPI, discutir medidas legislativas, como a reversão de lucros da estatal para ajudar a população.

“Vejo com reserva nesse fato específico. CPI é para casos muitos excepcionais e fatos constituídos. Nesse caso, não antevejo de pronto práticas criminosas”, disse o presidente do Senado.

A possibilidade de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras surgiu na semana passada, com uma ideia advinda do próprio presidente Bolsonaro, após a Petrobrás anunciar mais um aumento nos combustíveis. Os reiterados aumentos que a estatal tem repassado aos consumidores tem pressionado a inflação e voltou a questionar a política de preços da empresa, que desde o governo Temer segue o preço do dólar.