Senador Marcos Rogério (DEM-RO) chamou CPI da Covid-19 de “cortina de fumaça” para proteger prefeitos e governadores. Fala foi proferida durante interrogatório feito ao ex-ministro Ernesto Araújo ontem (18).

Durante a sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 ontem (18), o senador Marcos Rogério (DEM-RO) disse que o que vem acontecendo ali é uma “cortina de fumaça” para proteger prefeitos e governadores. O parlamentar falou que os senadores estão desviando o objetivo da investigação e criando narrativas para proteger possíveis atos de corrupção cometidos por governadores e prefeitos durante a pandemia.

De acordo com Estudos Nacionais, o senador disse que a manobra vem sendo adotada por não haver indícios de corrupção no Governo Federal. Com isso, senadores da oposição estão tratando de fatos irrelevantes para dar a impressão de que há gravidade em atos comuns do Governo. Ademais, Renan Calheiros, relator da CPI, é pai do governador de Alagoas, Renan Filho.

Em governos anteriores estaríamos em uma CPI para investigar o pagamento de propina, desvios de recursos. Diante de tantos contratos bilionários que o Governo Federal fez, especialmente durante esse tempo de pandemia, não há um indício sequer de corrupção. Na falta disso, a CPI discute de um medicamento é ou não eficaz, como se até hoje houvesse consenso científico no mundo acerca de remédio com eficácia para tratamento da Covid-19. O que fariam os médicos do Brasil e todo o mundo se tivessem que esperar remédios com bula indicando eficácia contra Covid para atender os milhões de pacientes que chegavam todos os dias aos hospitais com sintomas graves e muitos deles com risco eminente de morte?“, falou o parlamentar.

Dicotomia entre vacinas e medicamentos

Ainda de acordo com a publicação, Marcos Rogério também lembrou que a Pfizer obrigou os países que comprarem seu imunizante a assumirem os riscos de possíveis efeitos colaterais. Ademais, lembrou que o próprio representante da farmacêutica reconheceu em seu depoimento à CPI que não havia condição legal para se fechar contrato de compra e venda no ano passado.

Quando o assunto é o uso de medicamento, a tese é totalmente contrária: É preciso ter segurança absoluta. Com relação à vacina, não. Pode contratar, independente disso“, apontou.

As vacinas da Pfizer são denunciadas em outros países por apresentarem graves falhas. Um caso na Nigéria, há alguns, ceifou a vida de várias crianças. A farmacêutica foi obrigada pela justiça a pagar altas somas em indenizações por conta das adversidades.

Marcos Rogério fez requerimento para convocação de Drauzio Varela

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) apresentou na segunda-feira (17) requerimento para a convocação do médico Drauzio Varela. De acordo com o parlamentar, o objetivo é esclarecer a atuação do oncologista “na disseminação de informações contraditórias sobre a pandemia da covid-19”.

Marcos Rogério lembra que, em janeiro do ano passado, Drauzio Varela afirmou que o coronavírus não tinha “potencial de catástrofe”. “De cada cem pessoas que pegam o vírus, 80% a 90% das pessoas têm um ‘resfriadinho’ de nada”, afirmou o médico na ocasião. Em novo vídeo divulgado em março, Drauzio Varela reconhece a gravidade da situação provocada pela covid-19.

Filie-se agora ao Movimento Conservador! Acesse: